quinta-feira, 31 de março de 2011

Um minuto pra virar!


Desenho Pavão Mc

Esse é um rascunho de um storyboard para uma história no Festival do Minuto. Um garoto sentado em frente a uma loja do Conjunto Nacional observa um par de tênis que ele gostaria de ter. Enquanto ele observa e pensa como ele gostaria de ter aquele tênis, o quadro aproxima para dar um close na arma que está em baixo da camisa. No fim, o garoto toma sua decisão.  

terça-feira, 29 de março de 2011

Poeminhas Pretos



Desenho Pavão Mc. 
Título: Cansado.




Amor clandestino é invisível
O fuzível geralmente é preto
Na entrelinha está escrito:
"Te espero no coito!"
E se afoito, vira feijoada.


***


Dejanize, eu e o monte.
Talvez meio escaleno, mas no fim equilátero
Sambei! Deixa pra amanhã.


(Pavão Mc, 2004)

Pavão no GOG Com Vida



http://www.youtube.com/watch?v=MYgjw0ETYF4

Vídeo da UNB TV da Universidade de Brasília apresentando o projeto GOG Com Vida, realizado na cidade do Guará, no Distrito Federal. O projeto consistia em uma série de oficinas e debates realizados em uma escola durante todo o final de semana. Tive o prazer de ser convidado pelo GOG para ministrar a oficina de Rap juntamente com Markão Aborígene. No vídeo, uma pequena entrevista sobre o projeto e sobre a necessidade e urgência de se desenvolver políticas públicas para a juventude. 

segunda-feira, 28 de março de 2011

Raving Rabbids VIAGEM NO TEMPO


RAVING RABBIDS TRAVEL IN TIME from AKAMA on Vimeo.
http://www.vimeo.com/19567761

Raving Rabbids é o quarto título da série de Rayman, uma série de jogos de ação-aventura criados pelo artista gráfico Michael Ancel. Estes 'adoráveis' personagens estilo coelhinhos 'fofinhos', sacanas e insanos, estouraram  no universo das animações e acabaram sendo usados em várias peças publicitárias e em outros curtas animados. Os personagens ganharam o prêmio Akama na categoria melhor publicidade em Mônaco no ano passado.

Lobo

Desenho Pavão Mc

Um brincadeira com o famigerado 'Lobo', anti herói  da DC Comics, reproduzindo o personagem no estilo 'Maurício de Sousa'. Ok, isso é uma heresia! 

sexta-feira, 25 de março de 2011

Zumbis e outras cossitas mais!


Gosto de zumbis. Depois de conhecer um pouco da história do mestre George Romero e assistir sua obra, fiquei mais interessado ainda. Do 'tosco' a super produção, Zumbis são interessantes. Na verdade, todo o background é um convite a uma análise sociológica, antropológica, enfim do ser humano. Para além de  uma defesa acadêmica ao estilo horror 'zumbizesco', filmes de zumbis são divertidos, alguns são tensos, outros são ótimas metáforas para se falar da sociedade. Segue a baixo uma seleção (não das melhores, mas dos que assisti e li até agora) de mortos-vivos para seu deleite e conhecimento. Quem quiser contribuir com a lista sinta-se a vontade. 

Histórias em Quadrinhos


Os Mortos-vivos
Autor: Robert Kirkman
Desenho: Tony Moore
Editora: HQ Maniacs

Comentário: Uma história simplesmente genial. Não foi por acaso que a Fox bancou a adaptação para a série de tv.

Filmes


A noite dos mortos vivos
Direção: Tom Savini
Roteiro: George Romero
Ano: 1990

Comentário: Clássico, assistam.

Dia dos mortos 
Direção: George Romero

Roteiro: George Romero
Ano: 1985

Comentário: Outro clássico. Obrigatório para quem quiser conhecer a obra de Romero e a pré-história dos mortos-vivos.

Madrugada dos mortos(remake)
Direção: Zack Snyder

Roteiro: James Gunn
Ano: 2004

Comentário: A direção de Zack Snyder (um dos meus diretores favoritos) revisita de maneira bem sucedida um outro clássico de George Romero (Down of the dead, 1978). Os efeitos especiais criam uma atmosfera apocalíptica convincente. Snyder aproveita para misturar também elementos cômicos descobertos por Romero em sua primeira versão. Um ótimo remake, com extras muito legais e um making of que vale a pena conferir.



Terra dos mortos 

Direção: George Romero
Ano: 2005

Comentário: Fazia tempo que não vibrava em um filme no cinema. 'Terra dos Mortos' usa uma cidade a lá Mad Max, para brincar com os arquétipos e classes sociais da sociedade (claro, aqui elevadas a décima potência, convenhamos, é o final dos tempos). Destaque para a metáfora do 'sky flowers' usado para distrair os zumbis enquanto os humanos saqueiam as cidades, vai vendo. Mais que isso, o filme faz auto-crítica ao modelo de gestão dos EUA e ainda sacaneia a política anti-terrorista norte americana. Por fim, a idéia do diretor, sugere também que 'acéfalos' podem desenvolver alguma reação ao perceberem a situação em que se encontram. Sem dúvida divertido.

Diário dos mortos 
Direção: George Romero
Roteiro: George Romero
Ano: 2007

Comentário: Três estrelas (em uma classificação máxima de cinco) na minha opinião. Não é uma das melhores histórias de Romero, mas ainda assim tem  questionamentos interessantes de mídia, voyerismo jornalístico, entre outros.


A ilha dos mortos
Direção: George Romero
Roteiro: George Romero
Ano: 2009

Comentário: Então, esse é um dos que menos gostei. Mas Romero pode.



Extermínio
Direção: Danny Boyle
Ano: 2002

Comentário: Essa produção britânica, na minha opinião, é sem dúvida um dos filmes que mais se aproximam de uma real hecatombe de mortos vivos. A direção de Danny Boyle (outro figura que admiro muito) conduz uma história tensa, sem esperanças e desesperadora. Embora nossos 'zumbis' aqui tenham um modus operandi diferente, juntei-os minha lista. Destaque para os 'infectados' que não são nada lentos e nem fora de forma, pelo contrário, são raivosos, vorazes e ágeis na caça de carne humana. Uma palavra: genial!


Extermínio 2
Direção: 
Juan Carlos Fresnadillo
Ano: 2007
Comentário: Contrariando a clássica das péssimas e fatídicas continuações, Extermínio 2 fez-se uma grata surpresa. Ao abordar e criticar de forma inteligente temas recentes, o diretor Juan Carlos acertou a mão ao dirigir a história. O clima de tensão e histeria aumenta e as ações  continuam sendo levadas ao extremo para se sobreviver nesse cenário. Lembrando que nossos 'infectados' continuam em ótima forma. Destaque para a trilha sonora que continua classe 'A' desde o primeiro longa de 2002.



Rec
Direção: Jaume Balagueró, Paco Plaza
Ano: 2007

Comentário: A produção espanhola de Jaume Balgueró é uma obra prima do medo. O filme inteiro é feito com câmera subjetiva, não existe trilha sonora, o áudio se limita aos ruídos do som ambiente e a direção guarda até os últimos instantes para desanuviar a trama. Somada a ótima caracterização de personagens, todos esses elementos causam muita ansiedade e sustos memoráveis. Já que a versão norte americana não trouxe nada de novo, não farei comentários sobre ela. Assistam, vale a pena.

Rec 2
Direção: Jaume Balagueró, Paco Plaza
Ano: 2009

Comentário: Nada de novo no que diz respeito aos sustos e recursos usados no primeiro longa. O diretor Jaume Balagueró repete ipsis litteris a condução da história. Mesmo assim chamo a atenção para a trama que sugere uma premissa interessante para o surgimento dessas criaturas mortíferas. Os mortos vivos são parecidos com os do filme Extermínio, rápidos e raivosos. 'Assitível'.



Vírus
Direção: Alex Pastor e David Pastor
Ano: 2009

Comentário: Vírus é um filme triste. Talvez nem se encaixe no perfil 'morto vivo'. Os infectados aqui não comem carne humana, nem saem espumando pela boca. Juntei-o a lista porque a história tem a mesma pegada apocalíptica desencadeada por um vírus letal. As relações humanas na ausência de qualquer regra social ficam a mercê do instinto de sobrevivência e isso não é bonito. Vírus é triste, muito triste. Está na minha lista dos bons filmes, vale a pena.

A Epidemia (remake)
Direção:Breck Eisner
Ano: 2010

Comentário: A Epidemia é um remake de The Crazys (1973), filme de George Romero. Dessa vez o Estado tem a sua mão invisível pairando na história. Gosto da atuação de Timothy Olyphant. Alguns bons sustos, mas fora os efeitos especiais, nada de novo.



Todo mundo quase morto
Direção: Edgar Wright
Ano: 2004

Comentário: Simon Pegg é um ótimo ator cômico. Em outra oportunidade passo umas dicas de filmes com ele. 'Todo mundo quase morto' é uma sátira social ácida e inteligente. As piadas são bem escritas e é preciso um pouco mais de 'brain' pra degustar as tiradas. Me amarro no humor inglês.
Zumbilândia
Direção: Zack Snyder
Roteiro: James Gunn
Ano: 2004

Comentário: Como diria meu crítico de cinema predileto, 'Pablo Villaça': "Zumbilândia é um filme idiota, mas extremamente divertido." Assino em baixo. As atuações são hilárias, Woody Harrelson está impagável. Quem gosta de humor sinistro, sangue e muitas mutilações, terá diversão garantida. Eu gostei...

Fido: o mascote
Direção: Andrew Currie
Ano: 2006

Comentário: A produção canadense de 'Fido' apresenta uma história pra lá de original. Após uma poeira espacial transformar todos os defuntos terráqueos em vorazes devoradores de carne humana, uma companhia cria uma maneira de domesticar os zumbis. A relação cômica e quase 'profana' de Fido (o zumbi sangue bom em questão) com a família que o 'acolhe', é realmente hilária e 'profana'. Existe o certo, o errado e o 'errado'. Este 'errado' é Fido. Interessante.

As strippers Zumbi
Direção: Jay Lee
Ano: 2008

Comentário: Sem comentários. Não sei por que assisti isso. Só entrou pra completar a lista.
Dead Snow
Direção: Tommy Wirkoma
Ano: 2008

Comentário: De origem norueguesa, Dead Snow decepciona. Mesmo com a possibilidade de 'fatiar' alguns nazistas sem nenhuma dor de consciência, a historieta não é lá interessante.
Mutações 
Direção: David Morlet
Ano: 2009

Comentário: Mesmo com a oportunidade de explorar um drama interessante entre um casal contaminado com um vírus, a produção francesa 'Mutações' decepciona e não convence. Estética interessante, mas sem força dramática. 











Legião do mal
Direção: Yannick Dahan, Benjamin Rocher
Ano: 2010

Comentário: Outra película francesa que não entendeu bem como falar de zumbis.
A capital dos mortos (remake)
Direção: Tiago Belotti
Ano: 2009

Comentário: Um representante brasiliense na categoria morto vivo. Vale como material nacional, sem dúvida. 


Mangue negro
Direção: Rodrigo Aragão
Ano: 2008

Comentário: O pernambucano 'Mangue Negro' é outro representante tupiniquim nessa categoria. Nossas histórias são assim, baixo orçamento e muita vontade de fazer.










Aminação

Residente Evil: degeneration
Direção: 
Ano: 2008

Comentário: Como curto muito animações, não poderia fechar a lista sem mencionar 'Resident Evil: degeneration'. O longa é a primeira animação feita em CG, recurso de animação usado nas criações para vídeo games da série homônima. A animação é uma produção da Capcom Studios em parceria com a Sony Pictures Animations. Cenas muito bem produzidas, mas de brinde aquele argumento e narrativa japonesa que não me agrada muito. 

* Fora esta animação, não quis fazer nenhuma referência da série blockbuster 'Resident Evil'.

Série de TV

Walking Dead
Emissora: AMC
Produtor: Frank Darabont
Ano: 2011

Comentário: A série conta a história de um grupo de pessoas tentando sobreviver ao holocausto 'zumbíaco'. A trama é baseada na adaptação da história em quadrinhos de Robert Kirkman citada no início desse post. Com produção mais que competente de Frank Darabont, 'Walking Dead' usa zumbis como cenário para retratar as relações humanas desses sobreviventes. Mais do que escapar das criaturas, o que está em jogo é a própria humanidade dessas pessoas. Foram apenas seis episódios, mas com record de audiência. A segunda temporada está prevista para estrear em julho. Gostei muito da temporada e mal posso esperar a estréia da próxima.

John Stockton


Desenho Pavão Mc, técnica caneta Bic.

Homenagem ao ex-armador do Utah Jazz, John Stockton. O cara era monstruoso. jogadas fantásticas, uma visão de jogo impressionante. Stockton fazia uma ótima parceria com o pivô Karl Malone, o 'Carteiro''. John telegrafava as jogadas e Malone sempre entregava na sexta. Na época não sabia se cresceria ou ficaria baixinho. Armar as jogadas acabou sendo uma qualidade que aprendi por necessidade. No final das contas me tornei ala-armador.

quinta-feira, 24 de março de 2011

Notes on Biology


(notes on) biology from ornana films on Vimeo.

Tentarei manter o propósito de postar uma animação ou um curta por semana. Esse vídeo é em stopmotion, como gosto de desenhar no caderno a história me ganhou de primeira.

quarta-feira, 23 de março de 2011

LIIBRA 2011

Desenho Pavão Mc, técnica caneta Bic.

Homenagem a um dos meus ídolos no basquete, Shaquille O'Neal. Aproveito para anunciar que serei mestre de cerimônia da Liga Internacional de Basquete de Rua do DF esse ano de 2011. Felizão com o convite e essa parceria com a rapaziada da CUFA-DF. Muito axé nos jogos na Praça do Cidadão, na Ceilândia. Se liga que as datas dos jogos são 9, 16, 17 e 30 de Abril. Nos vemos na quadra.   

Abraço

Desenho Pavão Mc


Leminskerinque



No limerinque de Tatiana,
há quem brinque de ser Belinque
Requinte é o que não falta no verso de Leminski.



(Pavão Mc, 2011).

Motz El Som


Recentemente fiz um workshop para letristas de música com o compositor Magno Melo. O cara é um monstro. Tem mais de 40 músicas gravadas por deus e o mundo, além de premiações e indicações a prêmios importantes de composição. Com ótima didática, Magno Melo nos brindou com dois dias de intensivão, estudando desde os tipos de linguagem até a análise poética das letras. Mas sem dúvida um tópico entre todos me chamou mais a atenção. Foi como se tivesse encontrado o mapa da mina. O Motz el som é o estudo que analisa que tipos de fonemas ou sons das palavras se aplicam melhor as harmonias. Segundo o compositor, esse é um estudo muito recente, um campo ainda inexplorado. Já imaginou isso, estudar que tipo de sílaba ou palavra fica melhor com essa ou aquela harmonia ou melodia? Sem presunção, Eu imaginei! Como Magno disse, esse é processo na maioria das vezes intuitivo. Nem percebia mas já realizava isso em minhas letras. Não falava pois alguém poderia achar loucura escolher essa ou aquela frase porque caia bem na tonalidade ou harmonia da música. Além de outros gêneros que escrevo, o rap sempre foi um laboratório para experimentar o 'motz el som'. Aliterações, rimas com sonoridades aproximadas, jogos de estrutura poética e com certeza o 'motz el som'. Para os puristas do rap, isso pode ser balela. Eu quero é mais. 

Mais do que antes.

 Foto Tatiana Reis

terça-feira, 22 de março de 2011

Refrão de um Boêmio

Desenho Pavão Mc

Refrão de um Boêmio


Bângu, bambu, bambuzal
Batendo o bambu a boemia
Basta-me o baço brilho do bordel
Beijos e abraços
Vivendo a balda dos bons boleros passados
Pudera uma vez mais bailar como outrora bailara em meio ao bambual de boêmios
Bardo boêmio
Preso a devaneios banais
Bulia-me a bares, boates, botecos e butiquins
Bocas borradas de baton
O balbúcio de boleros junto a balbúrdia burguesa
Nas bêbadas batidas fortes dos baticuns noturnos dos bares
Baiúcas,
Esquinas
Ruas
Motéis
Bairros
Becos e bordéis
Nada soa estranho aos ouvidos do boêmio
Bate-me agora o banzo dos bons tempos
Vivendo a pândega vida das bossas novas passadas porém eternas
Pudera uma vez mais bailar como outrora fiz em meio ao bambual de boêmios

(Wander Pavão, 1996)

Zumbi herói 2

Desenho Pavão Mc

Outro rascunho com Zumbi como personagem. Logo mais darei um exemplo de história em quadrinho afrocentrista realizado nos EUA com o talentoso e recentemente falecido Dwayne McDuffie. 

Mullet

Desenho Pavão Mc

Não, não é John Lennon. É uma homenagem ao amigo Cláudio 'Mullet' Cabelinho, o garoto londrino.

segunda-feira, 21 de março de 2011

Frente Candanga de Hip Hop Contra a Corrupção

~

Outro vídeo alertando os irmãos e irmãs sobre consciência na hora da eleição pela Frente Candanga de Hip Hop Contra a Corrupção.

Sarau Demolição - Frente Candanga de Hip Hop - Jam Session



Soltando a voz em uma jam session com os amigos no Sarau Demolição da Frente Candanga de Hip Hop.

Poder Para o Povo Preto



Reportagem Agência Reuters Internacional

Considero o oportunismo político para se debater pautas sociais colocadas em segundo plano, uma importante estratégia. Com todas as ressalvas ao governo de Barack Obama, a presença de um homem negro na 'Casa Branca, representa uma mudança simbólica que não pode ser ignorada. Isso é fato. Por ocasião da eleição norteamericana para a presidência, o grupo 'Obama Brasileiro' aproveitou a oportunidade e a visibilidade do tema para agitar e provocar a opinião pública brasileira. Fui convidado a apoiar e fortalecer a necessidade de se discutir a presença da população negra no parlamento brasileiro. Dada a ínfima representatividade de parlamentares negros participando da política nacional, o movimento Obama Brasileiro ecoou como um cânone dos movimentos negros brasileiros, que há muito tempo denunciam esse déficit imenso para conosco. Estratégia de guerrilha é necessária, mas somente a discussão com a sociedade civil e a aplicação de políticas públicas mudarão o abismo que nos separa da desigualdade. Um ótimo dia de guerra e 4P pra geral!

Entrevista para a TeleSur, canal do Mercosul



Entrevista concedida ao programa TeleSur do canal do Mercosul.

Entrevista para Reuters CNN



Uma das entrevistas dada a equipe Reuters para a CNN por ocasião da movimentação do 'Obama Brasileiro'.

Ação Periferia


Desenho Pavão Mc

Criando algumas ilustrações para o programa Ação Periferia onde faço locução e pesquisa musical.

sexta-feira, 18 de março de 2011

Mosaico


Desenho Pavão Mc

Minha singela homenagem a grandes mestres dos cartoons. Esse mosaico tem Charles Schulz, Bill Watterson, Dik Browne, Jim Davis, Fenando Gonsales, Brant Parker, Johnny Hart, Bob Thaves, Laerte e Angeli. Está faltando um autor. Quem descobrir ganha um doce.