segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Ação Periferia - 27 de Agosto de 2011

                               Foto e edição Tatiana Reis.


Nesta edição do programa entrevistamos Salisa Barbosa, que fala sobre moda. Além disso, comemoramos o aniversário de Sandra de Sá. Vale a pena ouvir geral! Agradecemos a Rádio Nacional AM, 980 KHZ e a Rádio Google pela transmissão do Ação Periferia!

Programa Ação Periferia 27 de agosto by Ação Periferia

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Consciência Periafricana na Biblioteca Nacional


Pavão e o Aquilombando na Biblioteca Nacional. 

O ano em que fizemos Contato



Título original: Contact.
Lançamento: 1997, EUA.
Direção: Robert Zemeckis.
Atores: Jodie Fosster, Matthew McConaughey e Tom Skerritt.
Duração: 150 min.

Gosto de reler histórias porque sempre encontro algo a mais. Na fissura de compartilhar com minha companheira algo que marcou minha vida, obriguei-a (no bom sentido, se é que isso é possível) assistir o filme Contato, adaptação da obra do astrônomo Carl Sagan. Li o livro no início da década de noventa, antes mesmo de ler Machado de Assis ou qualquer outro autor clássico. E não me envergonho, pois mesmo travestido de ficção científica, as novecentas e poucas páginas lidas a luz de lampião, deitado em cima de uma porta madrugada a dentro, reverberam em mim até hoje.  
                         Capa do livro
O filme de Robert Zemeckis (que também dirigiu clássicos como a trilogia De Volta Para o Futuro, A Morte Lhe Cai Bem, o Náufrago e Beowufl) é tão belo e complexo quanto o livro de Sagan. A ficção conta a história da astrônoma Ellie Arroway (Jodie Foster) que após anos procurando vida fora da Terra, recebe uma mensagem enviada do espaço. Novamente aqui, o gênero é mero pano de fundo para abordar discussões muito mais interessantes, como por exemplo, o que realmente aconteceria se o planeta fizesse contato com seres alienígenas. Como os governos mundiais se comportariam? Como isso afetaria as religiões no mundo? 
Além de cenários políticos intrigantes, Contato recorta a narrativa apresentando os dramas pessoais de Ellie Arroway. A dificuldade da protagonista em obter credibilidade e reconhecimento no meio científico, mesmo com titulação igual a de seus colegas, evidencia claramente o machismo que ela enfrenta. A relação afetiva com seu pai, o fascínio pelo espaço e a obstinação em seus ideais são pequenas peças do mosaico que tornam a heroína muito mais atraente. Mas o mote principal de Contato é realmente o eterno debate entre razão e fé. Argumento costurado habilmente pelo diretor.   

E não se engane, mesmo catorze anos após seu lançamento, Contato nos brinda com efeitos especiais convincentes, boa fotografia, um time de ótimos atores e momentos inspiradores. Epifania vinda do espaço. Ótima pedida para o final de semana.

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Millennium em película


Título original: (Män Som Hatar Kvinnor)
Lançamento: 2009 (Dinamarca, Alemanha, Suécia)
Direção: Niels Arden Oplev
Atores: Michael Nyqvist, Noomi Rapace, Lena Endre, Peter Haber.
Duração: 152 min


Um dos últimos filmes que vi (confesso não ter tido a paciência para me embrenhar no livro) foi Os homens que não amavam as mulheres, da trilogia Millenniun, do escritor sueco Stieg Larsson. Larsson faleceu logo após entregar os manuscritos da trilogia e não viu o fenômeno que a saga se tornou. Alguns amigos confiáveis atestam a ótima leitura. Já o filme não passa de mediano. Gosto da personagem Lisbeth Salander e fico imaginando o quão mais interessante seria sua caracterização no livro. Na película, uma história policial mediana.  

terça-feira, 16 de agosto de 2011

The Legendary: A Film About "The Roots"


The Legendary: A Film About The Roots from Cam Be on Vimeo.

Passeando pelo blog do Melanoise acabei descobrindo um mini doc que passou batido. The Legendary é um documentário sobre uma das minhas bandas preferidas: The Roots. Os caras são influência direta na minha formação musical e na maneira como escrevo. As imagens dos shows estão simplesmente magníficas. A direção e produção ficou a cargo de Cam Be. 

De olho na rua!


Foto Tatiana Reis.

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Ação Periferia / 13 de Agosto 2011


                           Foto e arte Tatiana Reis.

Ação Periferia Dia 13 de agosto de 2011 by Ação Periferia

Esta edição marca a estréia do Ação Periferia também na Rádio Google. Podemos conferir neste programa muita novidade!  
Link da Rádio Google, confira: http://radiogoogle.com/

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

8 horas no Brooklyn


8 Hours in Brooklyn from Next Level Pictures on Vimeo.

O teaser faz parte de uma produção que será lançada em breve pela Next Level Pictures. Todas as imagens foram feitas dentro de um período de oito horas no bairro do Brooklyn. As urbanidades vistas em câmera lenta me dão uma sensação de poesia no ar. A trilha é do grupo Skream.

Uma estrada angustiante

Título: A Estrada (The Road).
Ano: 2009 (EUA).
Direção: John Hillcoat.
Atores: Viggo Mortensen, Kodi Smit-McPhee, Robert DuvallGuy Pearce.
Duração: 111 min.

Semana passada consegui assistir um filme que vinha ensaiando para ver, o excelente A Estrada (The Road, 2009). Dirigido pelo australiano John Hillcoat, também diretor do fantástico A Proposta (assunto para outro post). O filme é a adaptação do livro homônimo de Cormac McCarthy e conta a história de pai e filho tentando sobreviver a um planeta hostil no pós apocalipse. 

Admito o fraco por esse tema. Me intriga saber se um evento natural ou não, nos reduziria a criaturas amorais. Se tirássemos todos os aparatos que nos tornam uma civilização, o que restaria? Na verdade, explorar o que nos torna humanos é um tema fascinante. Na minha opinião, muito bem explorado pela A Estrada. No filme, a dinâmica de Viggo Mortensen e o pequeno Codi Smit-McPhee é o simulacro perfeito do que poderia acontecer. As situações extremas e de encruzilhada moral imaginadas para a narrativa, nos pertubam durante toda a projeção. Na estória, Smit-McPhhee já da indícios de seu talento precoce. Algo comprovado na sua atuação no ótimo Let Me In. Além disso, Charlize Theron e Robert Duvall fazem pequenas, mas marcantes participações. Quem assistiu, concordará que o designer de produção foi muito hábil ao criar um mundo cinza e agonizante. Mesmo o figurino das personagens, sempre em tons escuros, ressaltam uma paisagem desolada e sem vida. A Estrada é um filme triste e dramático. Denso e perturbador. Vale a pena explorar.     
 

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

A pintura 3D de Mr. Shaka


Fuçando o site da Zupi, encontre as pinturas de Shaka, alcunha de Marchal Mithouard, um artista francês que 'esculpe' literalmente na tela sua pintura tridimensional. O colorido psico tem um efeito caleidoscópico muito interessante. Faça uma visita ao site de mr. Shaka  e confira  outras obras muito bacanas.   






quarta-feira, 10 de agosto de 2011