terça-feira, 17 de maio de 2011

Sobre a Musa e a inspiração



                             Fotos Pavão

Ela é doce
É veneno
É verve, sabor pleno
Lisérgica e sereno


Ela é magnética
Serelepe
Frenética e queixume
É verdadeiro lumi


É volúpia ao e m o
Razão da rima, do riso e do remo
Ela é a melodia, harmonia, ritmo e letra
É a mordida indecente
É libido
É tesão
É falésia do tino
É abismo e VULCÃO


Ela é sacia, facécia, chiste e graça
Ela é desejo que abraça
É púbis na pélvis
É Vênus de Adônis
Do cóccix ao pescoço


Ela é maviosa, charme, ternura
Substantivo feminino concreto
É afeto, colo e candura


Ela é fogo-fátuo
Afrodite, fruto, lótus
Ela é diva, lílula
Flor de Liz, Desliz e fotos.


Poesia Pavão, 2011.

3 comentários:

tatiana reis disse...

amar o poeta
é feito dança,
porque a poesia é intensa, é densa, segue a maré dos compassos,
no ritmo dos desejos,os soluços do boêmio, a militância do guerreiro,
a libido do amante.Poesia pela casa, escorada nas estantes,
perfumando a cama,escorrendo entre as pernas,
tua história pelas rimas, nossos sonhos dentro delas.

meu amor.

tatiana reis disse...

tá bom....eu sou brega quando amo..e dai e dai????
=]

raiane disse...

Adorei o texto e a resposta da musa.
Vcs são únicos, ok?
Lembrem-se sempre.

Beeijo nos dois.